Mercado com “ingrediente secreto”

Na rúbrica ‘Espaço Gourmet’ também há segredos. Henrique Sá Pessoa, o convidado do último dia, desvendou o seu, em forma de lulas com camarão. Durante a confeção do prato apresentado, foram destacados alguns conselhos sobre alimentação saudável e dicas para ser bem-sucedido na cozinha. Em complemento da iniciativa, o público pôde contar com apresentação e sessão de autógrafos dos livros «Ingrediente secreto» partes I e II. Pode acompanhar a conversa que tivemos com o Chefe:

O que o levou a interessar-se pela cozinha?

O interesse pela cozinha foi um pouco casual: comecei tarde e fui influenciado pela minha tia. Foi por volta dos meus 16 anos, para “desenrascar”. Quando me apercebi que podia levar as coisas mais a sério, comecei a alimentar essa sede. E também o facto de ter vivido um ano nos Estados Unidos abriu-me muitas portas para começar uma carreira, que acabou por ser internacional.

Então trabalhou fora de Portugal. Quais são as diferenças entre o que é considerado gourmet em Portugal e no estrangeiro?

O termo gourmet hoje em dia já não se utiliza muito. Penso que foi usada muitas vezes a nível de marketing, para encarecer alguns produtos. Atualmente significa ter qualidade, ter rigor e critério. Portugal, em termos de produtos, tem uma qualidade fantástica, especialmente em peixe, marisco, queijo e enchidos. E a principal diferença em relação aos outros países é a disponibilidade desses produtos. Portugal tem uma localização geográfica maravilhosa e foi essa a diferença que notei quando trabalhei fora.

Existe algum tipo de especialidade gastronómica da região de Leiria que possa destacar?

Hoje comi cabrito assado, que é um prato da região de que se ouve falar muito. Acho que é o que deve ser destacado.

Qual é a sua opinião acerca deste tipo de eventos?

Fico feliz por ver cada vez mais o investimento por parte das câmaras na criação destes espaços. São agradáveis, onde as pessoas gostam de estar. São espaços que dão destaque à gastronomia, aos produtos locais e que, de certa forma, modernizam também os mercados. Quando me convidaram, fiquei altamente feliz por poder participar e dar o meu contributo. Também foi uma forma de promover o meu trabalho e visitar uma cidade que já não via há muitos anos. Gostei muito!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *