Este projecto foi feito no sentido de planear a WLAN instalada no campus da ESTG (Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria) e de desenvolver testes de desempenho e de optimização. Para isso foi adquirida uma licença para o software “WinProp”, que permite efectuar o planeamento de redes sem fios. Com este programa desenhámos uma planta tridimensional do edifico A da ESTG, baseando-nos apenas nas plantas bidimensionais dos três pisos, em dezenas de fotografias que capturamos e na nossa própria observação do interior do edifício. Este desenho é constituído por diferentes tipos de objectos que resultam da realidade do edifício e aos quais estão associadas características electromagnéticas diferentes. Este conjunto de objectos engloba paredes exteriores, paredes interiores, portas, janelas, cacifos, escadas, objectos metálicos, acrílico e o próprio piso entre os andares.

Concluída a fase de desenho e a atribuição de características electromagnéticas aos vários objectos, demos inicio ao processo de simulação de propagação. Para este processo ser possível foi necessário enviar o desenho para a “AWE Communications” (empresa responsável pela produção e manutenção do software) de modo a ser feito um pré processamento do desenho.

De forma a obtermos resultados de simulação que realmente reflectissem a realidade da rede, recolhe-mos, junto dos responsáveis pela instalação dos equipamentos wireless de todo universo IPL (Instituto Politécnico de Leiria), informações acerca da localização e potência dos APs. Assim, acrescentámos ao desenho tridimensional os APs, nas respectivas localizações e com as respectivas características. Para o processo de simulação de propagação recorremos a diferentes modelos empíricos de propagação disponibilizados pelo “WinProp”. Estas simulações foram também feitas para diferentes coordenadas verticais.

Já para os testes de desempenho da rede em comunicações multimédia foi desenvolvido um sistema de streaming constituído por um servidor capaz de enviar streams de vídeo codificado em MPEG-4 e por um cliente capaz de detectar perdas de pacotes. A este sistema juntámos um conjunto de programas que nos auxiliaram no processo de codificação, descodificação e cálculo de qualidade objectiva das imagens.

Foram realizados testes de streaming em diversos locais do edifico e com diferentes condições de recepção de sinal. Estes testes serviram para comparar os resultados obtidos pelas simulações do “WinProp” e para concluir acerca da potência mínima do sinal necessária para a obtenção de uma qualidade de imagem aceitável.

Figura 1: Modelo 3D do Edifício usado para estudar o desempenho (Edifício A da ESTG/IPLeiria)

Figura 1: Modelo 3D do Edifício usado para estudar o desempenho (Edifício A da ESTG/IPLeiria)

Figura 2: Potência de sinal recebido em diferentes áreas do edifício

Figura 2: Potência de sinal recebido em diferentes áreas do edifício