EMDA 4 – 15 de dezembro de 2021

A apresentadora

Ana Sofia Pinto
Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Biografia
É doutoranda do curso de Ciências da Linguagem – variante Linguística da Faculdade de Letras da Universidade da Universidade do Porto (FLUP) do curso de Ciências da Linguagem e bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) no âmbito do protocolo entre a FCT e o Centro de Linguística da Universidade do Porto (CLUP).
É licenciada em Ciências da Linguagem e mestre em Linguística pela FLUP. No mestrado, apresentou a dissertação Marcadores de reformulação parafrásticos no género artigo científico
Atualmente, colabora como revisora na elingUP – Revista eletrónica de Linguística dos Estudantes da Universidade do Porto.
É sócia da Associação Portuguesa de Linguística.

A apresentação

Título
Mecanismos de reformulação no discurso académico

Resumo
Esta proposta tem por base o projeto de tese do doutoramento em Ciências da Linguagem – variante Linguística, realizado na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, no âmbito de uma bolsa de investigação para Doutoramento ao abrigo do Protocolo entre a FCT e o CLUP, sob a orientação da Professora Fátima Silva.

O objetivo geral desta investigação é caracterizar os mecanismos de reformulação no discurso académico. Para isso, procuramos a) caracterizar linguística e discursivamente os mecanismos de reformulação em português europeu, b) propor uma tipologia de marcadores discursivos de reformulação baseada em critérios linguísticos e discursivos, c) estabelecer uma classificação de outros mecanismos de reformulação, d) analisar os mecanismos de reformulação ocorrentes em dois géneros textuais do discurso académico, o artigo científico e a tese de mestrado, f) comparar os dois géneros, tendo em conta o seu plano de texto,  as condições de produção e as áreas científicas em que integram e g) constituir um corpus anotado com mecanismos de reformulação.

Em termos teóricos, esta investigação aborda a noção de reformulação, fundamentada nos estudos de Gülich e Kotschi (1983), Roulet (1987), Garcés Gómez (2008), Lopes (2016) e Pinto (2018), e.o. Dentro deste fenómeno, descrito na literatura como estratégia discursiva que permite ao falante voltar a um enunciado anterior para formulá-lo de outra forma, concentramo-nos nas estratégias de reformulação (auto-reformulação e hetero-reformulação) e nos mecanismos de reformulação, com especial incidência nos marcadores discursivos de reformulação. Por outro lado, focalizam-se questões acerca do discurso académico, mais precisamente, as condições de produção dos géneros textuais artigo científico e tese de mestrado e a sua organização estrutural (Swales, 1990; Bronckart, 1996; Adam, 2019; Silva e Rosa, 2019 e Rosa, 2020, e.o.).

O corpus deste estudo é constituído por 260 textos, sendo 200 são artigos científicos de quatro áreas científicas e 60 teses de mestrado das mesmas áreas científicas. Para a seleção do corpus, consideraram-se critérios como a diversidade de áreas científicas, a diversidade de fontes de modo a evitar critérios de enviesamento, os textos produzidos em português europeu e a acessibilidade do corpus.

A metodologia adotada é mista, ou seja, é feita uma análise qualitativa de natureza descritiva e comparativa e uma análise quantitativa, baseada em técnicas de estatística descritiva. Este estudo segue as seguintes etapas metodológicas: a) recolha de artigos científicos e teses de mestrado disponíveis online, b) preparação e tratamento dos dados através do software Lancsbox, c) estudo exploratório com 8 teses e 32 artigos científicos para criação de um modelo de análise e de um esquema de anotação para os mecanismos e valores semântico-discursivos, de modo a validar o instrumento de análise, d) análise do subcorpus de artigos científicos, e) análise do subcorpus de dissertações de mestrado, f) análise comparativa dos corpora e g) discussão dos resultados obtidos. Os resultados previstos são contribuir para a caracterização linguística e discursiva do fenómeno da reformulação, aprofundar o conhecimento sobre o funcionamento do discurso académico, criar um modelo de análise replicável noutros géneros textuais e disponibilizar, se possível, o corpus anotado para futuras investigações.

Palavras-chave: Reformulação; Discurso académico; Género textual

Referências bibliográficas

  • Adam, J-M. 2019. La notion de texte. In Encyclopédie Grammaticale du Français. Disponível em: http://encyclogram.
  • Bronckart, J-P. 1996. Activité langagiére: textes et discours. Paris: Delachaux et Niestlé. 
  • Garcés Gómez, M. P. 2008. La organización del discurso: marcadores de ordenación y de reformulación. Madrid: Iberoamericana.
  • Gülich, E. & Kotschi, T. 1983. Les marqueurs de la reformulation paraphrastique. Cahiers de Linguistique Française, 5, 305-346. Disponível em http://clf.unige.ch/numeros/5/. Consultado em junho de 2018. 
  • Lopes, A. C. 2016. Discourse Markers. In W. L. Wetzels, J. Costa & S. Menuzzi (Eds.). The Handbook of Portuguese Linguistics, cap. 24. S.l.: Wiley Blackwell, 441-456. 
  • Pinto, A. S. 2018. Marcadores de reformulação parafrásticos no género artigo científico, Dissertação de Mestrado, Porto: FLUP.Rosa, R. 2020. A noção de Padrão Discursivo: Textos e Géneros em Análise. Tese de Doutoramento, Lisboa: FCSH-UNL. Disponível em http://hdl.handle.net/10362/97668. Consultado em junho de 2020.